Fotoproteção: saiba como proteger sua pele dos danos do sol

Engane-se quem pensa que ao acabar o verão também desaparecem os riscos com a radiação solar sobre a pele e, por isso, pode se descuidar do protetor solar. O principal motivo para o equívoco é a sensação de que os raios solares estão mais fracos no inverno.  Enquanto no verão, devido à inclinação terrestre, o […]

Engane-se quem pensa que ao acabar o verão também desaparecem os riscos com a radiação solar sobre a pele e, por isso, pode se descuidar do protetor solar. O principal motivo para o equívoco é a sensação de que os raios solares estão mais fracos no inverno. 

Enquanto no verão, devido à inclinação terrestre, o sol quase sempre está “a pino”, ou seja, a incidência dos raios solares é bem mais intensa; durante o inverno acontece o contrário, os raios solares batem na superfície terrestre de forma mais inclinada e, por isso, são menos intensos. 

Porém, ainda que eles possam ser considerados mais fracos, continuam queimando a pele no inverno, já que a incidência dos raios UVA e UVB não muda, mesmo com a troca de estações ou em dias mais frios e nublados. É por isso que, rotineiramente, você lê ou escuta por aí afirmação “use protetor solar, mesmo no inverno”. 

Quais são os efeitos dos raios ultravioletas na pele? 

Os efeitos dos raios ultravioleta (UV) na pele podem ser devastadores a longo prazo, causando danos que vão desde queimaduras solares imediatas até problemas mais graves, como envelhecimento precoce da pele, manchas, rugas, flacidez e até mesmo câncer de pele. 

Como proteger adequadamente a pele do sol?

A recomendação da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) é que todas as pessoas, independentemente da idade ou da cor da pele, devem utilizar medidas de fotoproteção adequadas para a sua idade. 

Inclusive, o uso de protetor solar diariamente, mesmo nos dias nublados ou no inverno, é essencial. Para isso, é importante procurar por protetores solares de amplo espectro, que protegem contra os raios UVA e UVB e com um fator de proteção solar (FPS) adequado ao seu tipo de pele e à intensidade do sol.  De acordo com a SBD, é importante que o FPS seja, pelo menos, igual ou maior que 30.

Escolhendo o protetor solar

Na hora de escolher uma medida de proteção, você pode optar pelos filtros solares tópicos, que são aplicados diretamente na pele e formam uma barreira física ou química contra os raios UV. 

Esses protetores solares vêm em diversas formas, como loções, cremes e sprays e podem ser manipulados, de acordo com o FPS e características desejadas na A Fórmula.

É importante que o protetor seja aplicado generosamente em todas as áreas expostas da pele, pelo menos 30 minutos antes da exposição ao sol e reaplicados a cada duas ou três horas, ou após nadar, suar ou se secar com uma toalha.

Além dos protetores solares tópicos, há também os filtros solares orais, que são suplementos fotoprotetores contendo substâncias como antioxidantes, polipodium leucotomos, entre outros, que ajudam a proteger a pele de dentro para fora. Essa forma de fotoproteção também pode ser solicitada na A Fórmula, com toda segurança e confiança que você precisa. 

No entanto, é importante ressaltar que esses suplementos não substituem o uso de protetores solares tópicos e devem ser utilizados como parte de uma estratégia de fotoproteção abrangente.

Não esqueça de se proteger com acessórios

Independentemente da forma de proteção escolhida, é essencial seguir as recomendações da Sociedade Brasileira de Dermatologia e adotar medidas de fotoproteção diariamente, especialmente durante os períodos de maior exposição solar. 

Complemente a proteção solar com o uso de acessórios como chapéus de abas largas, óculos de sol com proteção UV e roupas com tecidos de proteção solar, para garantir uma proteção completa contra os danos causados pelo sol.

POSTAGENS RELACIONADAS